O Parque de Exposições Vereador Roque Oberherr, também conhecido como Parque da Efacip, possui um remanescente florestal com sub-bosque altamente degradado, mas cobertura área preservada. Este fragmento têm, aproximadamente, 16.000 metros quadrados, sendo uma das maiores áreas verdes urbanas de Pinhalzinho, com diversas espécies nativas da região Oeste do Estado. Há anos o parque é constantemente utilizado para feiras, festas, shows e ponto de encontro de grupos que possuem associações no entorno da área arborizada. Tal área, antes da construção do projeto, era também utilizada como passagem para moradores do entorno, área de lazer e de estudo para professores e alunos do município, assim como ponto de consumo de drogas lí­citas e ilícitas.

     A utilização sem um controle efetivo repercutiu no agravamento das condições ambientais do parque e uma visão negativa da comunidade sobre o mesmo. Tais impactos incluem a continuidade da degradação do sub-bosque do fragmento, disposição ambientalmente inadequada de resí­duos e contaminação da água superficial de córregos que formam a sua jusante o rio Lajeado Anta Gorda.

     Devido a essas constatações e da necessidade de reparos e de orientações para o uso consciente da área, o Governo Municipal de Pinhalzinho buscou auxílio na Fundação Universidade do Oeste de Santa Catarina (FUNOESC) – Campus São Miguel do Oeste.

     A partir do trabalho conjunto entre estas instituições surgiu a proposta de um projeto envolvendo as áreas de preservação permanente do parque e suas proximidades, objetivando a realização de atividades de educação ambiental, pesquisa cientí­fica e preservação ambiental, por meio da estruturação de uma Trilha Interpretativa de Educação Ambiental, parte dela adaptada a cadeirantes e pessoas com deficiência visual, vinculada a ela um Centro Interpretativo e abrangendo áreas externas ao parque, de propriedades particulares, um Corredor Ecológico de Mata Ciliar.

     A realização do projeto viabilizou-se após ser selecionado entre outros, junto a Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de Maravilha, o que levou ao apoio da Fundação de Amparo a Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), através de um convênio.

     Os trabalhos se iniciaram em Julho de 2010 com a proposição das espécies que comporiam as áreas temáticas da trilha, levantamento de informações científicas sobre as mesmas, planejamento do seu melhor traçado para diversos objetivos (como adaptação a pessoas com necessidades especiais e o melhor uso das espécies presentes), estabelecimento de atrativos temáticos ao longo da trilha, planejamento e projetos para adequação dos espaços físicos incluí­dos.

     Posteriormente, realizou-se a apresentação da proposta do projeto Trilha do Saber às associações que se encontram instaladas no parque e aos proprietários das áreas destinadas à  formação do Corredor Ecológico. Nesta foi apresentado informações gerais sobre o projeto Trilha do Saber (o que é, objetivo, infraestrutura, investimentos, instituições participantes) assim como a importância da participação de tais atores para o desenvolvimento e sucesso do projeto.

     A inauguração da Trilha do Saber ocorreu no dia 09 de Dezembro de 2011, com a presença de autoridades municipais, instituições com sede no Parque de Exposições Vereador Roque Oberher, instituições de ensino municipal e estadual, imprensa (jornais, emissora regional de TV) e proprietários das áreas de Preservação Permanente. Para estes foi realizada a entrega de um certificado de sua participação no programa, com titulação de “Faço Parte”.

[Best_Wordpress_Gallery id=”1″ gal_title=”Histórico”]